Já aconteceu com você que não consegue parar de pensar em algo por muito tempo? Experimentou sentimentos de frustração ou ansiedade porque quer remover algum pensamento perturbador da sua mente e não conseguir? Se você se sentiu incapacitado por alguma dessas situações, pode ter sofrido de pensamentos intrusivos, algo que frequentemente acontece com muitas pessoas. Então, hoje vamos falar o que são e como pode administrá-los para evitar o sofrimento. Aprenda profissionalmente com os nossos mestrados especializados em psicologia.

Que são os pensamentos intrusivos?

Os pensamentos intrusivos nascem de obsessões que se repetem e perturbam a nossa mente por muito tempo, apesar de não querer pensar a respeito desse assunto. São aqueles pensamentos desagradáveis, inúteis e disfuncionais que acabam surgindo repetidamente, tirando a sua calma e dificultando a concentração.

Muitas vezes, os pensamentos podem se tornar o eixo da nossa vida se não trabalharmos com eles. Isso acontece porque, ao colocar toda a nossa atenção nesses pensamentos, excluímos a realidade que nos cerca e não podemos direcionar a nossa energia para outros estímulos. Por isso, constatou-se que pensar demais nas coisas é um dos problemas mais frequentes na nossa sociedade, pois pode causar ansiedade, sofrimento e incapacidade.

Por que aparecem pensamentos indesejados?

Às vezes, os pensamentos obsessivos aparecem precisamente porque não queremos agir dessa maneira. Podem ser simplesmente a coisa mais inadequada que as nossas mentes podem imaginar, mas adivinhem? Tentar não tê-los e afastá-los tem o efeito oposto. Quando nos preocupamos excessivamente com pensamentos intrusivos e fazemos um esforço para eliminá-los, podemos gerar um tipo de Transtorno Obsessivo Compulsivo. Nesse caso, a pessoa evita atividades que possam produzir pensamentos maus. Se as situações não podem ser evitadas, eles tendem a realizar certos rituais, como contagem repetitiva ou oração compulsiva.

Como gerir os pensamentos intrusivos?

Os pensamentos obsessivos são, na verdade, um sintoma que nos alerta para algo em que devemos trabalhar profundamente. É por isso que um dos primeiros passos é ir até o fundo deles para identificar de onde vêm, por que são mantidos e poder trabalhar com eles desde a raiz. Da mesma forma, podemos usar algumas técnicas para gerir os pensamentos de maneira adequada e reduzir o seu impacto nas nossas vidas.

Observe os pensamentos

Algo muito importante que devemos entender é que as pessoas não são o que pensam. Ou seja, muitas vezes não conseguimos decidir o que chega ou não à nossa mente, essas imagens mentais que nos perturbam não podem ser controladas e isso não significa que queremos que aconteçam. No entanto, se pudermos selecionar o que queremos manter e o que podemos descartar.

Cada vez que o pensamento aparece, não devemos resistir-nos a ele, devemos deixá-lo estar e observá-lo. Caso contrário, ele se tornará mais forte. Além disso, podemos investigar por que isso aparece e, em seguida, decidir se queremos concentrar-nos nisso ou não. Este exercício requer um grande esforço e treino e é normal que no início seja difícil parar de ter estes pensamentos, mas se trabalharmos constantemente veremos como eles perdem as forças e desaparecem.

As melhores atividades para treinar a mente é a meditação, ioga ou a atenção plena, pois promovem a concentração, a atenção e o autocontrole.

Pratique exercícios físicos constantemente

Os pensamentos são energia e, portanto, é mais fácil gerir-lhos quando liberamos o excesso de energia que o nosso corpo produz. Portanto, é melhor fazer alguma atividade física diariamente para ter uma mente mais clara, mais relaxada e que a intensidade dos pensamentos recorrentes diminua.

Não julgue ou rejeite pensamentos intrusivos

Então, como pode eliminar pensamentos perturbadores? Precisamente, sem aumentá-los, minimizando a importância que consideramos que eles merecem. Como já mencionamos, sempre que acontecerem, lembremo-nos de que são apenas pensamentos e que existe uma diferença entre eles e as ações. Portanto, não desperdice energia tentando afastar o pensamento, tem que deixar ir e vir de onde veio.

E não tenha medo de compartilhá-los com alguém. Se percebermos que a situação nos ultrapassa e nos impede de seguir com as nossas atividades diárias, peça ajuda a um profissional para acompanhá-lo e orientá-lo até a saída do túnel.

Elige tu ubicación

Latinoamérica

Europa